Para chegar à Metodologia BioFAO na medicina, uma pesquisa vem sendo desenvolvida  há 30 anos a partir do diálogo dos conhecimentos de alquimia, física quântica, medicina chinesa e da ayurveda, em busca dos elementos que estariam relacionados ao mapeamento do biocampo do ser humano e de saber como se daria a relação destes elementos com os centros de consciência do nosso corpo.

Para a utilização da metodologia na medicina, foi necessário aprofundar o estudo para trabalhar além dos meridianos de energia, entrando no campo mais ampliado da geometria dos sólidos de Platão. Esta é a representação do campo vital ao qual estamos inseridos, e que nos permite estar conectados à saúde universal, que é comum a todos os entes vivos.

Religar o indivíduo a essa dinâmica universal de saúde inata e promover este equilíbrio, por ressonância, é o primeiro passo deste processo. A partir do realinhamento da energia do indivíduo a este contexto, acreditamos que este processo é capaz de abrir a possibilidade de se cumprirem os altos fins da sua existência. Ao se sentir conectado, o sujeito retoma as sincronicidades em sua vida.

Nesse sentido, o sujeito sente-se capaz de assumir suas heranças de arte e de beleza para que consiga trazer seu dom ao mundo. O uso da Metodologia BioFAO também promove a emergência de condições energéticas necessárias para trazer e manifestar a criatividade, pois muitas pessoas atualmente têm as ideias mas não dispõem de energia para fazer com que elas aconteçam. Isto é a causa de muita depressão e frustação, à medida que o indivíduo vai fechando o seu ciclo de vida e não consegue ver o seu selo nesse mundo. O sucesso passa pela realização e expressão da sua missão no mundo.

Esta metodologia tem como objetivo promover a saúde através da resolução de quadros agudos, crônicos, psiquiátricos, entre outros, mas sua base é comum: o despertar da consciência, porque a sua finalidade é criar o terreno fértil que terá como resultante a restauração da saúde física, mental e espiritual.

PERGUNTAS IMPORTANTES

1. É indicado para quem?

O tratamento com a BioFAO é indicado para pessoas de qualquer idade, com qualquer patologia, crônica ou aguda. Pessoas saudáveis que buscam aumentar seu equilíbrio e sua sincronicidade na vida também podem se beneficiar com o tratamento.

2. Grávidas e recém-natos podem fazer uso desta terapêutica?

Sim, este tratamento também é indicado na gravidez, pois equilibra o feto e mantém os centros energéticos da gestante equilibrados, favorecendo o parto e o pós parto.

3. Para que serve?

O  BioFAO atua em todas as patologias clínicas, porque o foco desta metodologia é o equilíbrio do sujeito. Neste sentido, qualquer sintoma, patologia ou distúrbio de comportamento será contemplado neste tratamento.
Os quadros agudos e crônicos serão processados de acordo com a dinâmica de auto-organização, geralmente de forma concomitante. Ocorre uma sensação interna de melhora, com evolução do estado geral do paciente.

4. O que devo esperar deste tratamento?

Este tratamento iniciará um processo de auto-organização sistêmico em sua vida. Auto-organização não significa apenas deixar de manifestar sintomas, mas sim promover um estado de equilíbrio que organize sua vida de forma sistêmica, inclusive em relação à qualidade de seus próprios pensamentos, de sua dinâmica de inter-relações de trabalho, relações sociais, projetos, visão de mundo e relação com o meio ambiente. Tudo está interligado.

5. Tem algum efeito colateral?

Não, o tratamento não tem efeitos colaterais. No processo de auto-organização pode ocorrer o retorno de sintomas cada vez mais brandos e espaçados, como forma de liberar padrões de adoecimento até que o sistema se reorganize e busque um novo ponto de equilíbrio. Durante o processo o sujeito se torna mais consciente e a sua vida mais harmônica.

A METODOLOGIA NA PRÁTICA

A BioFAO é prescrita há mais de 30 anos por médicos em todo o Brasil, dentro das mais diversas especialidades.

Em 2003, sua idealizadora, a Dra. Míria de Amorim, defendeu sua tese de mestrado pelo IESC (IESC – INSTITUTO DE ESTUDOS DA SAúDE COLETIVA) – UFRJ, com o tema: “A HOMEOPATIA NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS DE ORIGEM AMBIENTAL POR AGROTÓXICOS – UM ESTUDO DE CASO COM ENGENHEIROS AGRÔNOMOS E TÉCNICOS AGRÍCOLAS”. Em 2006, iniciou o atendimento no Ambulatório de Toxicologia Clínica Ambiental e Ocupacional do HUCFF/UFRJ, a pacientes intoxicados cronicamente por agrotóxicos e solventes. Esses pacientes eram tidos como incuráveis e apresentavam, no início do tratamento, mais de 30 sintomas, como perda de audição, depressão, diminuição da concentração, cefaleia, desânimo, transtorno do sono, peso nas pernas, dermatite alérgica, entre outros.

Ao longo de 9 anos, esses pacientes foram acompanhados e tratados com a Metodologia BioFAO e obtiveram resultados bem significativos.

No estudo do grupo intoxicado com solventes, em 2006 os pacientes apresentavam, em conjunto, 160 sintomas catalogados, enquanto que em 2014 eram apenas 22 sintomas, representando uma redução percentual de 86,25%.  No grupo intoxicado por agrotóxicos, no ano 2006 os pacientes apresentavam 229 sintomas catalogados, enquanto que em 2014 apenas 60 sintomas, representando uma redução percentual de 73,8%.

Cadastro de solicitação
Após fazer o cadastro, entraremos em contato.
Efetuar Pagamento / acessar
X